Bem Vindo às Cousas

Puri, se tchigou às COUSAS, beio pur'um magosto ou um bilhó, pur'um azedo ou um butelo, ou pur um cibinho d'izco d'adobo. Se calha, tamém ai irbanços, tchítcharos, repolgas, um carólo e ua pinga. As COUSAS num le dão c'o colheroto nim c'ua cajata nim cu'as estanazes. Num alomba ua lostra nim um biqueiro nas gâmbias. Sêmos um tantinho 'stoubados, às bezes 'spritados, tchotchos e lapouços. S'aqui bem num fica sim us arraiolos ou u meringalho. Nim apanha almorródias nim galiqueira. « - Andadi, Amigo! Trai ua nabalha, assenta-te nu motcho e incerta ó pão. Falemus e bubemus um copo até canearmos e nus pintcharmus pró lado! Nas COUSAS num se fica cum larota, nim sede nim couractcho d'ideias» SEJA BEM-VINDO AO MUNDO DAS COUSAS. COUSAS MACEDENSES E TRANSMONTANAS, RECORDAÇÕES, UM PEDAÇO DE UM REINO MARAVILHOSO E UMA AMÁLGAMA DE IDEIAS. CONTAMOS COM AS SUAS : cousasdemacedo@gmail.com



segunda-feira, 12 de outubro de 2009

Esmiuçando as Autárquicas – Freguesias Centro-Leste

Prosseguindo na mesma senda… Feita a análise possível às 25 freguesias que compõem o tecido macedense a norte e no centro-sul, derive-se agora em direcção ao sol nascente e ao conjunto de 12 freguesias que compõem o centro-leste (uma vez mais, refiro que esta divisão geográfica é subjectiva): Bagueixe, Chacim, Lagoa, Lombo, Morais, Olmos, Peredo, Salselas, Talhas, Talhinhas, Vale da Porca e Vinhas. Para não quebrar a monotonia, PSD-CDS vencem as eleições nesta região, com 55,89% dos votos expressos, ficando o PS com 36,44%. A coligação vence em 10 das 12 freguesias, perdendo nas extremas Talhas e Talhinhas, onde o PS sai vencedor. Serão também estas as freguesias onde o PS vence as eleições para as respectivas Juntas de Freguesia. Dilui-se aqui o poderia “laranjo-azulado”, apesar de, em 9 das freguesias conseguir votações acima dos 50%. Contudo, só em quatro sobe acima da fasquia dos 60%, salientando-se Vale da Porca, o “beraldistão” desta zona, onde PSD-CDS alcançam o melhor score, com 70,78% dos votos. Por sua vez, em Talhas encontra-se o “vazistão” concelhio, já que o PS atinge aqui, naturalmente, a sua melhor votação concelhia, com 55,98%. É, precisamente, em Talhas que PSD-CDS encontram a sua “ovelha negra” de votação, com o pior resultado concelhio, com 39,4%. Já o PS alcança a sua pior marca em Bagueixe, com 16,23%, freguesia que dá algum consolo à CDU com 14,94%, apesar de, em termos gerais, a coligação regressar aos valores residuais, com 2,7%. Apesar de residuais serem também os votos brancos e nulos, a freguesia de Morais é a que mais utiliza os primeiros em forma de protesto, com 3,55% e recordista, em valores absolutos, com 13 brancos. Já Lagoa decidiu atribuir aos nulos 8,73%, com duas dezenas de votos adulterados. A abstenção ficou-se pelos 41,89%, sendo Morais a prevaricadora mor, com 55,69% de abstencionistas. A freguesia melhor comportada é o Lombo, onde apenas 26,26% dos eleitores fugiram ao par “direito-dever” cívico. Esta região apresenta uma maior homogeneidade em termos populacionais, não havendo nenhuma freguesia abaixo dos 250 eleitores recenseados, nem abaixo dos 150 votantes efectivos. Daí que é, das três sub-regiões analisadas, aquela que possui maior população votante, com 5228 constantes dos cadernos eleitorais, correspondendo a 27,11% do total de eleitores concelhios. Destes, votaram 3038, o que corresponde a 26,67% dos votos concelhios nestas Autárquicas. No que respeita às forças partidárias em confronto, esta região contribuiu para o total de votos de PSD-CDS, PS e CDU, respectivamente, com 27,62%, 25,08% e 24,19%. De salientar a “excessiva” contribuição de votos nulos provindos desta região, com 34,17%, ficando a dos votos brancos em 27,27%. Uma nota final, de agrado, para o facto de não existir, nesta região, nenhuma freguesia em risco de entrar para o rol das ameaçadas pelo limiar dos 150 recenseados, ocorrendo nesta área a existência da maior freguesia, em termos eleitorais, do conjunto de regiões analisadas, Morais.

Sem comentários: