Bem Vindo às Cousas

Puri, se tchigou às COUSAS, beio pur'um magosto ou um bilhó, pur'um azedo ou um butelo, ou pur um cibinho d'izco d'adobo. Se calha, tamém ai irbanços, tchítcharos, repolgas, um carólo e ua pinga. As COUSAS num le dão c'o colheroto nim c'ua cajata nim cu'as estanazes. Num alomba ua lostra nim um biqueiro nas gâmbias. Sêmos um tantinho 'stoubados, às bezes 'spritados, tchotchos e lapouços. S'aqui bem num fica sim us arraiolos ou u meringalho. Nim apanha almorródias nim galiqueira. « - Andadi, Amigo! Trai ua nabalha, assenta-te nu motcho e incerta ó pão. Falemus e bubemus um copo até canearmos e nus pintcharmus pró lado! Nas COUSAS num se fica cum larota, nim sede nim couractcho d'ideias» SEJA BEM-VINDO AO MUNDO DAS COUSAS. COUSAS MACEDENSES E TRANSMONTANAS, RECORDAÇÕES, UM PEDAÇO DE UM REINO MARAVILHOSO E UMA AMÁLGAMA DE IDEIAS. CONTAMOS COM AS SUAS : cousasdemacedo@gmail.com



quinta-feira, 16 de julho de 2009

Verão Total e Arrepios de Saudade

Sempre que o nome de Macedo paira no ar, lá estarei eu para o tentar apanhar... Mesmo que de forma efémera, não poderia desperdiçar a centralização de uma emissão do canal público a partir de um dos meus locais de eleição. Descontando o facto de o programa em questão não se enquadrar propriamente no rol daqueles que me fazem ficar colados ao écran... Contudo, era o nome da minha terra que estava em questão... E "prontos". Dei por mim a efectuar experiências fotográficas enquanto, em simultâneo, era assaltado por um atroz sentimento de inveja (ainda que seja coisa que não se deva sentir). Mas que custa assistir, mesmo que seja de relance, a uns privilegiados em actividades aquáticas enquanto aqui o dito se ia abafando de colarinho apertado, lá isso custa. Todavia, a compensação veio através do visionamento de imagens familiares e do incremento do desejo de, brevemente, estar a ser um dos actores no meio das águas da albufeira. Mesmo que isso tenha resultado numa sequência interminável de arrepios de saudade. Os quais, por sua vez, tiveram o condão de aguçar o apetite para as próximas braçadas perto das "escadinhas", com uma incursão à ilha. Ou para vaguear pelo meio da planície aquática com uma canoa por companhia. Há-de chegar... Há-de chegar...

Sem comentários: