Bem Vindo às Cousas

Puri, se tchigou às COUSAS, beio pur'um magosto ou um bilhó, pur'um azedo ou um butelo, ou pur um cibinho d'izco d'adobo. Se calha, tamém ai irbanços, tchítcharos, repolgas, um carólo e ua pinga. As COUSAS num le dão c'o colheroto nim c'ua cajata nim cu'as estanazes. Num alomba ua lostra nim um biqueiro nas gâmbias. Sêmos um tantinho 'stoubados, às bezes 'spritados, tchotchos e lapouços. S'aqui bem num fica sim us arraiolos ou u meringalho. Nim apanha almorródias nim galiqueira. « - Andadi, Amigo! Trai ua nabalha, assenta-te nu motcho e incerta ó pão. Falemus e bubemus um copo até canearmos e nus pintcharmus pró lado! Nas COUSAS num se fica cum larota, nim sede nim couractcho d'ideias» SEJA BEM-VINDO AO MUNDO DAS COUSAS. COUSAS MACEDENSES E TRANSMONTANAS, RECORDAÇÕES, UM PEDAÇO DE UM REINO MARAVILHOSO E UMA AMÁLGAMA DE IDEIAS. CONTAMOS COM AS SUAS : cousasdemacedo@gmail.com



sábado, 12 de dezembro de 2009

De Macedo para o Ministério da Saúde

Na semana que agora termina, o meu sistema imunitário foi colocado em alerta máximo. Não se julgue que foi pelo resfriado que, numa fase inicial, pensei ser uma visita do Influenza versão suína. O dito sistema quase entrou em colapso pela possibilidade aberta de uma qualquer deslocação a um serviço de saúde! É verdade que, como factor atenuante, tenho o facto de viver no litoral... Porque, caso estivesse na minha terra de adoração, estou seriamente desconfiado que já teria cedido à pressão. Não que duvide das capacidades profissionais dos que prestam serviço no CHNE. As minhas dúvidas centram-se inteiramente nos profissionais que gerem os ditos profissionais do CHNE. Vejamos... Imaginemos... Que somos aquela pessoa que foi bafejada pelo infortúnio de ter um quisto na cabeça. E que vamos a uma consulta na qual é solicitada uma intervenção cirúrgica de urgência para remoção do referido quisto... E que nos apercebemos que o conceito de urgência é algo que tipifica o país em que tristemente vivemos: três meses!!! Até que, urgentemente, nos deslocamos a uma clínica privada por nos cansarmos de esperar pela urgência... Estranho? Não! A Unidade de AVC vai sofre obras de ampliação? Vai! Deve ser urgente... Porque o seu responsável fala em três meses para a sua conclusão... Mas vamos todos bater palminhas! Abriu a Unidade de Cuidados Paliativos no Hospital de Macedo! Com um atraso de três meses? Nããããã... Com um atraso de dois!!! Anos!!!! Não era urgente... Urgente era o recente caso de uma paciente com um traumatismo vértebro-medular que deveria ter sido transferida de Viseu para Coimbra. Esperou três meses? Obviamente que não... Esperou "apenas" quatro horas. Porquê? Porque só temos três helicópteros de emergência neste país. O que estava mais perto, em Santa Comba Dão, estava avariado. Os restantes dois não podiam levantar voo, alegadamente, por problemas atmosféricos. E os outros três, prometidos há (já me esqueci do tempo de espera)... Um deles era, precisamente, para Macedo... Era? Já passaram três meses? Não era urgente...

Sem comentários: