Bem Vindo às Cousas

Puri, se tchigou às COUSAS, beio pur'um magosto ou um bilhó, pur'um azedo ou um butelo, ou pur um cibinho d'izco d'adobo. Se calha, tamém ai irbanços, tchítcharos, repolgas, um carólo e ua pinga. As COUSAS num le dão c'o colheroto nim c'ua cajata nim cu'as estanazes. Num alomba ua lostra nim um biqueiro nas gâmbias. Sêmos um tantinho 'stoubados, às bezes 'spritados, tchotchos e lapouços. S'aqui bem num fica sim us arraiolos ou u meringalho. Nim apanha almorródias nim galiqueira. « - Andadi, Amigo! Trai ua nabalha, assenta-te nu motcho e incerta ó pão. Falemus e bubemus um copo até canearmos e nus pintcharmus pró lado! Nas COUSAS num se fica cum larota, nim sede nim couractcho d'ideias» SEJA BEM-VINDO AO MUNDO DAS COUSAS. COUSAS MACEDENSES E TRANSMONTANAS, RECORDAÇÕES, UM PEDAÇO DE UM REINO MARAVILHOSO E UMA AMÁLGAMA DE IDEIAS. CONTAMOS COM AS SUAS : cousasdemacedo@gmail.com



domingo, 22 de março de 2009

A filha do Cabra



"O teatro é ... a mais alta tentativa de conseguir que cada um de nós se envolva na verdade que não existe" Eduardo Prado Coelho

Não é todos os dias que se tem o concelho de Macedo no "mapa" da revista Visão. Nesta rara ocasião, tiveram a visão de verificar que, no interior remoto e esquecido, também existe vida para além da solidão. Apetece-me ir de malas aviadas para Morais. Não o faria pela apetência ou incapacidade para o teatro. Fá-lo-ia, sem qualquer margem para dúvidas, pela capacidade que uma aldeia do meu concelho demonstrou ao criar condições para deixar de alimentar o monstro que nasce do isolamento. Dedicaram-se ao teatro? Poderiam ter-se dedicado a outra coisa qualquer? A dedicação foi à causa nobre de criar laços em substituição da sua ausência. Com o nascimento d'"A filha do Cabra" não veio ao mundo apenas uma peça de teatro. A acompanhá-la, veio a prova de que Morais não se limita a ter nas suas imediações o "umbigo do Mundo". Contrariando um pouco Prado Coelho, talvez seja o próprio umbigo da verdade que existe.

Sem comentários: