Bem Vindo às Cousas

Puri, se tchigou às COUSAS, beio pur'um magosto ou um bilhó, pur'um azedo ou um butelo, ou pur um cibinho d'izco d'adobo. Se calha, tamém ai irbanços, tchítcharos, repolgas, um carólo e ua pinga. As COUSAS num le dão c'o colheroto nim c'ua cajata nim cu'as estanazes. Num alomba ua lostra nim um biqueiro nas gâmbias. Sêmos um tantinho 'stoubados, às bezes 'spritados, tchotchos e lapouços. S'aqui bem num fica sim us arraiolos ou u meringalho. Nim apanha almorródias nim galiqueira. « - Andadi, Amigo! Trai ua nabalha, assenta-te nu motcho e incerta ó pão. Falemus e bubemus um copo até canearmos e nus pintcharmus pró lado! Nas COUSAS num se fica cum larota, nim sede nim couractcho d'ideias» SEJA BEM-VINDO AO MUNDO DAS COUSAS. COUSAS MACEDENSES E TRANSMONTANAS, RECORDAÇÕES, UM PEDAÇO DE UM REINO MARAVILHOSO E UMA AMÁLGAMA DE IDEIAS. CONTAMOS COM AS SUAS : cousasdemacedo@gmail.com



terça-feira, 12 de janeiro de 2010

Algures a Nordeste

«Quem pega na bússola vê
oito direcções de mundo,
oito métodos de estar.
O oitavo é o Nordeste.
ALGURES A NORDESTE - A.M. Pires Cabral

Já por aqui disse que sou feito de xisto. Mas há gente feita de um xisto especial, gerado, quem sabe, por um metamorfismo assistido por um qualquer diabo que veio ao nascimento (ao enterro, logo se verá...). Veio mais um prémio literário para um filho da terra, um filho que sabe, como poucos, gravar na eternidade das pedras o pulsar e o sentir de um povo. Há filhos assim...

«...a vinha está morta e não está:
perdura viva em mim.
Isto, bem entendido, enquanto eu próprio
for algo em que algo possa perdurar.
Depois disso, perdurará naquilo
em que eu mesmo perdure.
E a partir daqui perde-se a conta.»
VINHA MORTA - A.M. Pires Cabral

Sem comentários: