Bem Vindo às Cousas

Puri, se tchigou às COUSAS, beio pur'um magosto ou um bilhó, pur'um azedo ou um butelo, ou pur um cibinho d'izco d'adobo. Se calha, tamém ai irbanços, tchítcharos, repolgas, um carólo e ua pinga. As COUSAS num le dão c'o colheroto nim c'ua cajata nim cu'as estanazes. Num alomba ua lostra nim um biqueiro nas gâmbias. Sêmos um tantinho 'stoubados, às bezes 'spritados, tchotchos e lapouços. S'aqui bem num fica sim us arraiolos ou u meringalho. Nim apanha almorródias nim galiqueira. « - Andadi, Amigo! Trai ua nabalha, assenta-te nu motcho e incerta ó pão. Falemus e bubemus um copo até canearmos e nus pintcharmus pró lado! Nas COUSAS num se fica cum larota, nim sede nim couractcho d'ideias» SEJA BEM-VINDO AO MUNDO DAS COUSAS. COUSAS MACEDENSES E TRANSMONTANAS, RECORDAÇÕES, UM PEDAÇO DE UM REINO MARAVILHOSO E UMA AMÁLGAMA DE IDEIAS. CONTAMOS COM AS SUAS : cousasdemacedo@gmail.com



terça-feira, 22 de junho de 2010

Cousas de enaltecer

"Batem leve, levemente, como quem chama por mim. Será chuva? Será gente? Gente não é certamente e a chuva não bate assim"... Poderia o intróito servir de simples recordação à célebre Balada da Neve de Augusto Gil. Porém, o plágio restringe-se à analogia de uns flocos, não de neve, mas de saudades, que por mim chamam. Neste caso, moram nas memórias de um evento que vai marcando, ano após ano, o pulsar macedense. A Feira de S. Pedro 2010 está aí à porta, batendo levemente nesta indómita vontade de, mensalmente, "arrumar a tenda" e zarpar para terra encravadas entre Bornes e a Nogueira. No Sábado lá estarei. Para rever amigos, para distribuir "bacalhaus", para reviver velhos tempos que a memória não apaga. E para assistir a um inolvidável cantar português na voz da inconfundível Mariza... Também...

Sem comentários: