Bem Vindo às Cousas

Puri, se tchigou às COUSAS, beio pur'um magosto ou um bilhó, pur'um azedo ou um butelo, ou pur um cibinho d'izco d'adobo. Se calha, tamém ai irbanços, tchítcharos, repolgas, um carólo e ua pinga. As COUSAS num le dão c'o colheroto nim c'ua cajata nim cu'as estanazes. Num alomba ua lostra nim um biqueiro nas gâmbias. Sêmos um tantinho 'stoubados, às bezes 'spritados, tchotchos e lapouços. S'aqui bem num fica sim us arraiolos ou u meringalho. Nim apanha almorródias nim galiqueira. « - Andadi, Amigo! Trai ua nabalha, assenta-te nu motcho e incerta ó pão. Falemus e bubemus um copo até canearmos e nus pintcharmus pró lado! Nas COUSAS num se fica cum larota, nim sede nim couractcho d'ideias» SEJA BEM-VINDO AO MUNDO DAS COUSAS. COUSAS MACEDENSES E TRANSMONTANAS, RECORDAÇÕES, UM PEDAÇO DE UM REINO MARAVILHOSO E UMA AMÁLGAMA DE IDEIAS. CONTAMOS COM AS SUAS : cousasdemacedo@gmail.com



quarta-feira, 21 de abril de 2010

Um Primeiro-Ministro Macedense?

Ou quase… Já que estamos em Abril, a poucos dias das comemorações do conturbado período que haveria de ter o seu epílogo no dia que me facultou a autorização para escrever o que me “der na real gana” sem o receio de um fantasma “lápis azul” a pairar… Pena as deturpações que se lhe seguiram. Mas isso são outras histórias… E, já que estamos em Abril, caso ainda fizesse parte física do nosso mundo, alguém haveria de ter completado a provecta idade de 97 anos no passado dia 15. Um alguém que, partilhe-se ou não dos seus ideais, era de rija têmpera, não tivesse visto a luz do mundo por transmontanas terras, lá para os lados do “umbigo do mundo”, Morais para os menos atentos. Um alguém que, paradoxo dos paradoxos, ou talvez não, conclui um curso de Teologia, abraçando, de seguida, o anticlericalismo. Desse alguém me lembrei ao renovar a minha incessante busca de entendimento desse período revolucionário, relendo, entre outras coisas, umas memórias de um dos mentores do MFA e outras de quem faz parte da História Portuguesa como Primeiro-Ministro e Presidente da República… Ao lembrar-me, assolou-me a mente, qual histórico pesadelo, a injustiça que a toponímia macedense tem feito aos seus “heróis”. Não é este o caso, detentor de uma placa toponímica, lá para os lados dos Merouços. Mas soa-me a insuficiente… Afinal, não fosse a firme oposição do líder partidário de então e, em vez do advogado Palma Carlos, teríamos tido um macedense registado na História como o primeiro Chefe de Governo no pós-25 de Abril. Ficou como o primeiro Ministro da Comunicação Social… A verdade, porém, é que, dado o seu passado como firme opositor ao regime do Estado Novo, consubstanciado no seu declarado apoio às candidaturas de Norton de Matos ou de Humberto Delgado, bem como na voz que deu ao jornal República, como director a partir de 1972, o MFA indicou-o como candidato a Primeiro-Ministro. E, de facto, o General Spínola convidou-o a desempenhar tal função. Contudo, a chegada do verdadeiro líder partidário impôs uma espécie de disciplina hierárquica, relegando esta figura para um plano distinto da cooptação que lhe tinha sido feita pelo aparelho militar. Foi efémera a sua passagem como ministro, em contraponto com a longa permanência de 24 anos como deputado. Deste período resultaram imensas histórias, resultantes de acesos debates. No entanto, retenho a sua entrada em cadeira de rodas para a votação da célebre Lei do Aborto… Um voto era um voto… Retenho, ainda, o ocorrido num debate parlamentar de 1980 em que, de forma pouco ortodoxa, mimoseou o parceiro de uma oposta bancada com um “Vá para a p*** que o pariu!”… Um insulto à avó do autor de “Equador”… Desapareceu da cena dos vivos em 2002, legando-nos um passado de luta e algumas notáveis obras… Destaco a fantástica “História da República”, em cinco volumes, a “obra da sua vida”, plagiando o autor do prefácio… O mesmo que não lhe franqueou as portas para termos tido um notável macedense como Primeiro-Ministro… Raul Rêgo, de seu nome…

2 comentários:

deep disse...

Não deixou, ainda assim, de ser um macedense notável... :)

Cavaleiro Andante disse...

É verdade! Mas podia ter sido um "catchinho" mais... Era só mais um "cibinho"... :)