Bem Vindo às Cousas

Puri, se tchigou às COUSAS, beio pur'um magosto ou um bilhó, pur'um azedo ou um butelo, ou pur um cibinho d'izco d'adobo. Se calha, tamém ai irbanços, tchítcharos, repolgas, um carólo e ua pinga. As COUSAS num le dão c'o colheroto nim c'ua cajata nim cu'as estanazes. Num alomba ua lostra nim um biqueiro nas gâmbias. Sêmos um tantinho 'stoubados, às bezes 'spritados, tchotchos e lapouços. S'aqui bem num fica sim us arraiolos ou u meringalho. Nim apanha almorródias nim galiqueira. « - Andadi, Amigo! Trai ua nabalha, assenta-te nu motcho e incerta ó pão. Falemus e bubemus um copo até canearmos e nus pintcharmus pró lado! Nas COUSAS num se fica cum larota, nim sede nim couractcho d'ideias» SEJA BEM-VINDO AO MUNDO DAS COUSAS. COUSAS MACEDENSES E TRANSMONTANAS, RECORDAÇÕES, UM PEDAÇO DE UM REINO MARAVILHOSO E UMA AMÁLGAMA DE IDEIAS. CONTAMOS COM AS SUAS : cousasdemacedo@gmail.com



quinta-feira, 23 de outubro de 2008

Uma região cousadamente doente...

Por muito que procure (e não encontre) um arco-íris no meio do nevoeiro, ainda não me convenci que, ou sou obstinado, ou crente, ou possuo duas orelhas virtuais de tamanho superior às que tenho... Traduzindo: persisto numa incessante busca de novas macedenses que me abram um sorriso de uma dita à outra. Esbarro sempre numa qualquer parede de notícias desagradáveis e que, não diminuindo o meu orgulho transmontano, provocam que me questione seriamente se valeu mesmo a pena o Martim Gonçalves de Macedo ter dado uma "cachouçada" no Sandoval, aquando da Batalha de Aljubarrota... Tenho cá uma séria suspeita de que o dito cavaleiro que ressuscitou um pouco da história macedense, caso soubesse o que se passaria 600 e tal anos depois, teria ficado a assobiar para o ar enquanto o dito Sandoval dava a mocada final no futuro D.João I...
Vivemos no país dos enganos. O que agora se promete (e assume), passa, repentinamente, obtidas as benesses num só sentido, a fazer parte de uma certa procrastinação governamental. Ou, como diria um certo presidente de um clube: "o que é verdade hoje, amanhã é mentira". Então não é verdade que o protocolado relativamente ao helicóptero para Macedo não passou de uns rabiscos desenhados a traços de boas intenções? De adiamento em adiamento, pode ser que caia no esquecimento... O Orçamento/2009 não contempla verbas para aquisição de meios aéreos de socorro. Temos que "gramar a pastilha" e resignarmo-nos ao rebuçado agridoce que representa a abertura de (mais) um concurso público para aquisição do tal veículo voador (mesmo que não haja verbas contempladas no orçamento para tal!). A triste sina, já aqui referenciada, é que o Hospital de Macedo vai perdendo, paulatinamente, valências. Ganhando, em contrapartida, a tal possibilidade de ter o Centro de Esterilização. Mas esse, não precisa de hélices...
De qualquer forma, neste país da treta (ou da teta, para todos os que estão sempre prontos para mamar à custa dos outros) anda tudo em bolandas às voltinhas com um tal plano tecnológico que inclui um tal de Magalhães. Regressando às presumíveis orelhas de asno a que já fiz referência, ainda me convenci que se referissem ao regresso de Pinto de Magalhães para colocar um ponto final na especulação bancária. Mas não! Era outra coisa! Acreditei poder ser o Fernão ressuscitado a querer servir a coroa portuguesa. Mas também não! É um computador "p'a putos"! Dizem os do plano tecnológico, 100% nacional! Até ter visto uma reportagem na qual, entre outros países, surgia a desenvolvidíssima Nigéria com idêntico espécimen! Mais um engano... Estou com "engania" (uma espécie de azia provocada por exposição prolongada a enganos)... Vou procurar um anti-ácido e volto daqui por uns dias...

Sem comentários: