Bem Vindo às Cousas

Puri, se tchigou às COUSAS, beio pur'um magosto ou um bilhó, pur'um azedo ou um butelo, ou pur um cibinho d'izco d'adobo. Se calha, tamém ai irbanços, tchítcharos, repolgas, um carólo e ua pinga. As COUSAS num le dão c'o colheroto nim c'ua cajata nim cu'as estanazes. Num alomba ua lostra nim um biqueiro nas gâmbias. Sêmos um tantinho 'stoubados, às bezes 'spritados, tchotchos e lapouços. S'aqui bem num fica sim us arraiolos ou u meringalho. Nim apanha almorródias nim galiqueira. « - Andadi, Amigo! Trai ua nabalha, assenta-te nu motcho e incerta ó pão. Falemus e bubemus um copo até canearmos e nus pintcharmus pró lado! Nas COUSAS num se fica cum larota, nim sede nim couractcho d'ideias» SEJA BEM-VINDO AO MUNDO DAS COUSAS. COUSAS MACEDENSES E TRANSMONTANAS, RECORDAÇÕES, UM PEDAÇO DE UM REINO MARAVILHOSO E UMA AMÁLGAMA DE IDEIAS. CONTAMOS COM AS SUAS : cousasdemacedo@gmail.com



sexta-feira, 16 de janeiro de 2009

Mais umas cousitas de início de ano


A "Florestal" faz parte do vocabulário macedense. No meu caso particular, recordo-me, na "idiotice" da minha juventude, de uns passeios pedestres de fim-de-semana até ao isolamento da "Florestal" (quando ainda não se sonhava com Intermarchés). Não ia fazer mais que desentupir (?) os pulmões com umas "cigarradas" (que nessa altura era obrigatório consumir os SG Filtro às escondidas...) e trocar umas ideias de "salvadores do mundo" com os amigos (não salvámos nada, mas ficou a intenção...). Mas o supremo, a cereja no topo do bolo, o "espantagnífico" da "Florestal" (para este Cavaleiro Andante, note-se) reside no segredo que as suas árvores ainda hoje devem guardar: foi sob a sua protecção que dei o primeiro beijo "dos de berdade" com a minha namorada de então. O encanto da "Florestal" conseguiu, inclusive, convencer os editores de um fantástico guia de percusos de fim-de-semana dos anos 90, a incluí-la nos locais de excepção do concelho de Macedo. E todo este discurso para quê? Porque o serviço associado à dita "Florestal" vai ser ser encerrado (ou está em vias disso)... Hábitos que já vêm desde os saudosos tempos da PSP ao fundo do Toural, da CHENOP para os lados da Praça ou do comboio que deixou de apitar para os lados da Estação... Acrescentando a cada vez menos-valia em que se vai transformando o Hospital e outras coisas mais, não me espantará caso, numa próxima incursão à minha "vila", me depare com a saída para o IP2 bloqueada com o aviso "CIDADE ENCERRADA POR FALTA DE SERVIÇOS PÚBLICOS"... Mas o helicóptero virá em Junho (de que ano?) e a REFER ganhou o processo do "Carril Dourado" (e então?)... E, mesmo assim, eu continuarei a gostar de Macedo (e depois?)... Depois, sei lá...

Sem comentários: